Director Carlos Rosado de Carvalho

Endiama e Ferrangol deixam de ser "jogadores e árbitros"

Endiama e Ferrangol deixam de ser "jogadores e árbitros"

A reestruturação do sector dos petróleos em curso no País vai estender-se também ao sector geológico-mineiro, nomeadamente no subsector dos diamantes, ferro e outros metais. A criação da Agência Nacional dos Recursos Minerais abre caminho para que as duas empresas passem a dedicar-se a seu "core business".

O ministro dos Recursos dos Minerais e Petróleos, Diamantino Azevedo, anunciou, na semana passada, que o licenciamento das actividades geológico-mineiras e a outorga dos direitos mineiros do País vão passar a ser detidas pela Agência Nacional dos Recursos Mineiras (ANRM).

A ANRM faz parte dos 11 órgãos superintendidos pelo Ministério dos Recursos Minerais e Petróleos (MIREMPET), aprovados no âmbito das políticas de reestruturação do sector definidas no novo Estatuto Orgânico do sector aprovado em finais de Dezembro do ano passado.

Diamantino Azevedo, que discursava no I Fórum de Negócios, organizado pela Câmara de Comércio Americana em Angola (AmCham Angola), disse que o objectivo é tornar a Endiama e a Ferrangol em empresas atractivas e lucrativas. De acordo com Diamantino Azevedo, o processo de reestruturação que está a decorrer na indústria petrolífera acontecerá também na área dos recursos mineiros. (...)


(Leia o artigo integral na edição 489 do Expansão, de sexta-feira 7 de Setembro de 2018, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i