Director Carlos Rosado de Carvalho

José Filomeno dos Santos e Jean-Claude Bastos de Morais em prisão preventiva

José Filomeno dos Santos e Jean-Claude Bastos de Morais em prisão preventiva
Foto: D.R.

[Actualizado] José Filomeno dos Santos, filho do ex-Presidente, José Eduardo dos Santos, e o empresário suíço-angolano Jean-Claude Bastos de Morais, presidente da Quantum Global, ficaram hoje em prisão preventiva no âmbito de um processo-crime referente a crimes na gestão do Fundo Soberano de Angola (FSDEA).

De acordo com um comunicado da Procuradoria-Geral da República, o ex-presidente do Fundo Soberano, Filomeno dos Santos, e Bastos Morais estão acusados da prática de vários crimes, entre eles o de "associação criminosa, recebimento indevido de vantagem, corrupção, participação económica em negócio, previstos e puníveis pela Lei n.º3/14, de 10 de Fevereiro, sobre criminalização de infracções subjacentes ao branqueamento de capitais e os crimes de peculato, burla por defraudação, entre outros".

A PGR informa que o processo-crime n.º22/18-DNIAP é relativo a actos de gestão do Fundo Soberano de Angola. A 8 de Junho, o Expansão avançou, na edição n.º 476, que ambos foram constituídos arguidos por suspeitas de envolvimento num negócio imobiliário com dinheiro do Fundo Soberano de Angola.

A empresa de Bastos de Morais, a Quantum Global, chegou a gerir 4,7 mil milhões USD do FSDEA, o equivalente a quase 95% dos seus activos, sem que se tenha realizado qualquer concurso público para o efeito. O regulamento de investimentos do fundo diz que nenhum gestor pode gerir mais de 30% dos activos do Fundo .

Exonerado do cargo de presidente do FSDEA pelo novo chefe de Estado, João Lourenço, em Janeiro último, Filomeno dos Santos foi constituído arguido, em Março, noutro processo, por suspeitas de "crimes financeiros" relacionados com uma alegada "transacção ilegal" de 500 milhões USD para um banco britânico, quantia entretanto devolvida a Angola.

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i