Director Carlos Rosado de Carvalho

Do 'exonerador implacável' ao combate à corrupção

Do 'exonerador implacável' ao combate à corrupção
Foto: Osmar Edgar

Passaram doze meses desde que o Presidente da República assumiu os destinos do País e o Expansão enumera as medidas mais emblemáticas de João Lourenço, algumas delas "corajosas", como recentemente referiu.

O fim de vários monopólios, as exonerações que também atingiram o "clã" dos Santos, as transformações dos sectores do petróleo e dos diamantes, bem como várias alterações e produção legislativa na área económica, são das medidas mais emblemáticas do Governo de João Lourenço, que assinala a 26 de Setembro um ano na liderança do País.

Numa recente visita à Alemanha, no final de Agosto, João Lourenço antecipava já à DW um balanço ao seu primeiro ano de mandato: "Em 11 meses, não é possível fazer-se o que deve ser feito num mandato de cinco anos. Eu considero, modéstia à parte, que em 11 meses muito foi feito. Pode-se mesmo dizer que mais do que era esperado. Um conjunto de medidas corajosas que uma boa parte das pessoas pensava não ser possível fazer neste período inicial de arranque do meu mandato. E, talvez, esperassem que acontecesse no terceiro ano do mandato, mas felizmente eu consegui fazer com sucesso nesses primeiros 11 meses".

Medidas "corajosas" do terceiro Presidente da história do País, que declarou a "corrupção, o nepotismo e a bajulação" inimigos- públicos, embora sejam as várias exonerações a elementos ligados ao anterior PR, que lhe valeram o apelido de "exonerador implacável", que estão a selar o seu compromisso na luta contra a corrupção. (...)


(Leia o artigo integral na edição 491 do Expansão, de sexta-feira 21 de Setembro de 2018, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i