Director Carlos Rosado de Carvalho

Despesa corrente sem juros em Angola desceu 64% nos últimos quatro anos

Despesa corrente sem juros em Angola desceu 64% nos últimos quatro anos
Foto: Quintiliano dos Santos

No estudo do CEIC é adiantado que, no âmbito do desdobramento do investimento público, pelo menos metade da despesa vai para a aquisição ou arrendamento de mais edifícios públicos".

A despesa corrente total sem juros em Angola, entre 2014 e 2017, desceu 64% devido à redução de 92% nos subsídios, 73% nas compras do Estado, 48% nas prestações sociais e 41% nas remunerações, revela um estudo.

Os dados constam do capítulo sobre Política Monetária e Cambial no livro "Relatório Económico de Angola 2017", documento elaborado anualmente pelo Centro de Estudos e Investigação Científica (CEIC) da Universidade Católica de Angola (UCAN), apresentado segunda- feira, em Luanda.

Em declarações à agência Lusa, o investigador do CEIC, Heitor Carvalho, um dos autores do livro, explicou que a redução de 41% nas remunerações teve reflexos negativos para os cidadãos, nomeadamente os funcionários públicos, que "viram os rendimentos drasticamente reduzidos pelo congelamento de salários num quadro de fortíssima inflação". (...)

*com Lusa

(Leia o artigo integral na edição 494 do Expansão, de sexta-feira 12 de Outubro de 2018, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i