Director Carlos Rosado de Carvalho

Crude caiu 20 USD desde Outubro

Crude caiu 20 USD desde Outubro

O excesso de oferta tem pesado fortemente nos preços da matéria-prima. A produção de crude nos Estados Unidos da América, Rússia e Arábia Saudita superou as quebras da Venezuela e do Irão.

O crude experienciou uma queda vertiginosa ao longo desta semana. O Brent, em Londres, está a ser negociado a cerca de 66 USD por barril, o que representa uma dedução de 20 USD ao valor a que fora transaccionado no início do mês de Outubro. Conforme referido em edições anteriores, o excesso de oferta tem pesado fortemente nos preços da matéria-prima. De acordo com a Agência Internacional de Energia, a produção dos EUA, Rússia e Arábia Saudita superou as quebras da Venezuela e do Irão, e a produção mundial aumentou 2,4 Mbpd em termos homólogos no mês de Outubro.

Contudo, a queda abrupta nos preços deu-se quando o presidente norte-americano mencionou a OPEP num tweet, e referiu que espera que a organização não venha a efectuar cortes na produção, salientando que os preços deveriam estar mais baixos tendo em conta os níveis da oferta. Isto ocorreu numa altura em que a OPEP, no seu relatório mensal, reviu em baixa as projecções da procura mundial de petróleo. A organização prevê, para este ano, um aumento de 1,5 Mbpd (-40 mil bpd face ao relatório anterior) face ao ano passado, e antecipa uma subida de 1,29 Mbpd (-70 mil bpd comparativamente ao relatório anterior) para o próximo ano. Várias economias têm estado a dar sinais de abrandamento, o que por sua vez tem repercussões negativas na procura de petróleo. (...)

*Banco Angolano de Investimentos


(Leia o artigo integral na edição 499 do Expansão, de sexta-feira, dia 16 de Novembro de 2018, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i