Director Carlos Rosado de Carvalho

Macron recua mas 'coletes amarelos' mantêm protestos

Macron recua mas 'coletes amarelos' mantêm protestos

Após quase três semanas de bloqueios de estradas e de protestos violentos em várias cidades francesas, o movimento espontâneo "coletes amarelos", lançado através das redes sociais, não se deixa impressionar pelo recuo do Governo e promete continuar a lutar contra o elevado do custo de vida.

O Governo francês cedeu à pressão social e desistiu da subida da taxa de carbono sobre os combustíveis, prevista para o início de 2019, mas a medida não convence o movimento dos "coletes amarelos", que mantém para sábado a quarta ronda de protestos. No último fim de semana registaram-se cenas de violência e destruição em Paris, na zona do Arco do Triunfo, e noutras cidades, e as autoridades temem uma nova vaga de violência.

Na terça-feira, o primeiro-ministro anunciou uma moratória, por seis meses, às medidas incluídas na agenda de transição ecológica do Governo liderado pelo Presidente Emmanuel Macron, que resultariam em aumentos nos combustíveis, no gás e na electricidade, bem como no endurecimento da inspecção técnica de veículos em Janeiro.

Mas dois dias depois, no Parlamento, Édouard Philippe anunciou que Governo cedeu definitivamente e deixou cair o aumento da taxa de carbono em 2019.

Segundo o governante, a contestação crescente às medidas anunciadas e os tumultos das últimas semanas são o reflexo de "uma raiva profunda que vem de longe, que há muito tem sido escondida por pudor e orgulho," disse Édouard Philippe, para quem agora "é preciso dar aos franceses motivos para recuperarem a razão". (...)

(Leia o artigo integral na edição 502 do Expansão, de sexta-feira, dia 7 de Dezembro de 2018, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i