Director João Armando

Nova era da comercialização de diamantes arranca com leilão

Nova era da comercialização de diamantes arranca com leilão
Foto: César Magalhães

Um diamante de 114 e outro de 46 quilates vão ser licitados na primeira venda por concurso limitado, que se realiza em Janeiro, à luz do novo modelo de comercialização que pôs fim ao monopólio do sector, que obrigava os produtores a venderem apenas aos compradores indicados pela SODIAM.

O primeiro leilão de diamantes após o fim do monopólio dos clientes preferenciais, que impedia os produtores de escolherem os compradores, está agendado para Janeiro e marca oficialmente o início da nova era de comercialização do sector.

A nova era da política de comercialização de diamantes, que ganhou um instrumento legal em Junho, arranca no próximo mês com a venda spot ou seja, leilão limitado, no qual serão licitados sete diamantes de dimensões e qualidades consideradas superiores, produzidos pela Sociedade Mineira do Lulo, na província da Lunda Norte.

Entre este lote, destaca-se um diamante de 114 quilates (conhecido também, no mundo das jóias por Illa D-colour) e uma outra gema (rosa) de 46 quilates. Para já, espera-se que as duas pedras venham a fixar um novo recorde na indústria diamantífera do País.

O evento que se realizará na sede da estatal Sociedade de Comercialização de Diamantes (SODIAM), empresa responsável pelo novo modelo do negócio de diamantes em Angola. Além de mediador, detém a obrigatoriedade da compra, venda e exportação de diamantes angolanos.

Nesta sessão vão participar alguns renomados compradores de diamantes internacionais, e referências da indústria de lapidação mundial, convidados para o efeito pela Sociedade Mineira do Lulo e pela Endiama. (...)


(Leia o artigo integral na edição 503 do Expansão, de sexta-feira, dia 14 de Dezembro de 2018, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i