Director Carlos Rosado de Carvalho

Brent fecha 2018 abaixo de 2017

Brent fecha 2018 abaixo de 2017

Apesar do desfecho do ano passado, 2019 inicia com uma inversão da trajectória de descida devido à entrada em vigor dos cortes de produção nos membros da OPEP e aliados já este mês.

O ano de 2018 terminou com perdas para o petróleo. O crude terminou o ano com um valor inferior ao que tinha no último dia de Dezembro do ano precedente, algo que não sucedia desde 2015.

A explicar, estiveram as quedas do terceiro trimestre, motivadas por receios sobre um possível abrandamento da economia mundial e pelo aumento da oferta por parte dos países produtores. Neste sentido, importa relevar que a produção norte-americana suplantou a russa e a saudita e atingiu os 11,5 milhões de barris por dia (Mbpd) em Outubro.

Contudo, a entrada em vigor dos cortes da OPEP, neste mês de Janeiro, traduziu-se numa inversão da trajectória e levou o Brent a atingir os 56 USD por barril. O acordo do cartel e os dados que revelaram uma diminuição das exportações petrolíferas da Arábia Saudita, no mês de Dezembro, foram suficientes para contrabalançar os efeitos dos indicadores que apontam para uma desaceleração da economia chinesa, que é responsável por uma parte substancial da procura de petróleo.


*Banco Angolano de Investimentos


(Leia o artigo integral na edição 505 do Expansão, de sexta-feira, dia 4 de Janeiro de 2019, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i