Director João Armando

Resultados dos bancos BCA, BCH, Prestígio, BIR e Valor quase que triplicaram

Resultados dos bancos BCA, BCH, Prestígio, BIR e Valor quase que triplicaram
Foto: Lídia Onde

Estas foram as primeiras instituições bancárias a operar em Angola a apresentar os balancetes relativos ao quarto trimestre de 2018, quase um mês antes do prazo definido pelo Banco Nacional de Angola para a publicação de prestações de contas trimestrais.

Os cinco primeiros bancos privados nacionais a publicarem balancetes do quarto trimestre de 2018 quase que triplicaram os lucros face ao período homólogo, passando de 7,7 mil milhões para 21 mil milhões Kz, um crescimento de 172,7%, de acordo com cálculos do Expansão.

O Banco Comercial do Huambo (BCH) foi o campeão dos lucros entre as cinco instituições, depois de ter fechado o quarto trimestre de 2018 com um resultado líquido de 8,3 mil milhões Kz, um crescimento de 107,5% face aos lucros de 4 mil milhões Kz obtidos no mesmo período de 2017. O resultado do BCH representa, por outro lado, cerca de 40% dos 21 mil milhões Kz arrecadados por estes cinco bancos privados.

Já o Banco Comercial Angolano (BCA), obteve um aumento de 247,4% face aos lucros obtidos no mesmo periodo de 2017, fechando o ano passado com 6, mil milhões Kz. O banco Valor ocupa o terceiro lugar entre os cinco bancos, com lucros de 4,1 mil milhões Kz, um aumento de 157% face ao último trimestre de 2017.

Estes resultados explicam-se, em parte, pelo aumento dos depósitos e dos títulos e valores mobiliários. Quanto aos restantes, o Prestígio encerrou 2018 com um aumento de 350% nos lucros para 1,8 mil milhões Kz, enquanto o Banco de Investimento Rural (BIR) obteve 200 milhões Kz, em lucros, depois de ter fechado 2017 com prejuízos de 200 milhões. (...)


(Leia o artigo integral na edição 508 do Expansão, de sexta-feira, dia 25 de Janeiro de 2019, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i