Brent tem maior queda desde início do ano

Brent tem maior queda desde início do ano

Tweet do presidente dos EUA, Donald Trump, a solicitar calma nos cortes de produção da OPEP agita mercados, depois de a Arábia Saudita ter admitido que os cortes podem ser estendidos à segunda metade do ano.

O Brent teve a maior queda desde o início do ano (-3,5%) após o presidente norte-americano ter partilhado um tweet a solicitar calma nos cortes de produção da OPEP. Porém, as perdas da matéria-prima face à semana passada foram atenuadas pelo recuo de 8,6 milhões de barris nas reservas petrolíferas norte-americanas, que interromperam 5 semanas de subidas.

Os cortes da OPEP e as sanções à Venezuela contribuíram para a redução do número de barris importados pelos EUA, o que por sua vez teve impactos nos stocks petrolíferos. As importações dos EUA recuaram para 2,6 milhões de barris na semana passada, correspondendo ao menor nível desde que há registo.

Por outro lado, o ministro da Energia da Arábia Saudita referiu que os membros do cartel poderão estender os cortes para a segunda metade do ano, algo que não tinha ficado acordado na reunião de Dezembro de 2018. Estas declarações também beneficiaram o crude, que já valorizou 20% desde o começo de 2019, encontrando-se nos 66 USD por barril (Brent). (...)


*Banco Angolano de Investimentos


(Leia o artigo integral na edição 513 do Expansão, de sexta-feira, dia 1 de Março de 2019, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i