Seguros de importação passam a ter de ser contratados em kz

Seguros de importação passam a ter de ser contratados em kz
Foto: Lídia Onde

A obrigatoriedade de segurar as importações numa seguradora em Angola visa diminuir até 40% a pressão sobre os recursos em moeda externa.

A contratação de seguro de importação no País vai passar a ser obrigatória após publicação em Diário da República do diploma sobre o seguro de importação de bens, aprovado em Abril pela Comissão Económica do Conselho de Ministros.

O documento obriga a qualquer importador que queira trazer mercadorias para Angola a contratar um seguro em kz junto de umas das 27 seguradoras que operam no País, contrariamente ao que acontecia antes, em que o seguro de importação era facultativo e poderia ser contratualizado com qualquer seguradora estrangeira ou nacional.

Com esta medida, o Executivo espera diminuir em 40 % o peso nas suas reservas cambiais externas. "Isso vai trazer enormes benefícios. Antes de mais, vai diminuir a pressão sobre os recursos em moeda externa", que "poderão ser utilizados noutras necessidades mais prementes", garantiu o presidente da Agência Angolana de Regulação e Supervisão de Seguros (ARSEG), Aguinaldo Jaime, em conferência de imprensa.

Com esta obrigatoriedade, os importadores tentam agora perceber como têm de proceder, havendo inquietações do lado de quem importa. "Precisamos perceber se a contratação do seguro obrigatório é desde a origem até ao armazém do importador ou se é apenas até a mercadoria chegar a um dos nossos portos, aeroportos, ou fronteiras", disse um importador. (...)



(Leia o artigo integral na edição 523 do Expansão, de quarta-feira, dia 10 de Maio de 2019, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i