Produção industrial em terreno negativo há 15 meses

Produção industrial em terreno negativo há 15 meses
Foto: Adjali Paulo

O indicador que avalia a marcha do sector produtivo em Angola fechou 2018 nos -6,6%. A "culpa" é, mais uma vez, do petróleo, cuja extracção recuou 9,5% face a 2017, mas também das dificuldades financeiras e do aumento dos custos dos bens intermédios.

A produção industrial esteve em terreno negativo todo o ano de 2018, depois de ter encerrado o IV trimestre nos -0,4%, aponta o inquérito à Produção Industrial (IPI) do Instituto Nacional de Estatísticas (INE), publicado na semana passada.

Contas do Expansão indicam que é preciso recuar ao lll trimestre de 2017 para encontrar um resultado positivo, quando o indicador atingiu os 3,5%, enquanto o pior desempenho do sector produtivo foi registado no lV trimestre de 2016 com o indicador a atingir os mínimos de -6%.

Em termos anuais, o indicador que avalia a marcha do sector produtivo em Angola fechou 2018 nos -6,6%, contra os -03% do ano anterior. O indicador foi influenciado pela diminuição na produção da indústria extractiva, com -9,5%, mas também pelas dificuldades financeiras e o aumento dos custos dos bens intermédios.

Nas Indústrias Extractivas, destaque para a queda de 9,4% na extracção de petróleo e de 10,5% na extracção de diamantes, face ao ano de 2017. Se por um lado as Indústrias Extractivas caíram, as Indústrias Transformadoras melhoraram 10,1% no índice, face a 2017, beneficiando da subida da "fabricação de produtos petrolíferos, químicos e outros" em 19,7%, da "indústrias das bebidas e do tabaco" (12,9%), mas também das "indústrias alimentares" (4,2%) e das madeiras (5,1%).

(Leia o artigo na integra na edição 528 do Expansão, de sexta-feira 14 de Junho de 2019, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i