Quatro em cada dez barris de petróleo exportados por Angola são da petrolífera Total

Quatro em cada dez barris de petróleo exportados por Angola são da petrolífera Total
Foto: ARQUIVO
EXPANSÃO

No espaço de cinco anos, as exportações de petróleo do Bloco 17, detido pela petrolífera Total, baixaramde 212 milhões de barris em 2014 para os 199 milhões no ano passado, acompanhando a tendênciade declínio das produção em todo o País. Especialistas defendem mais investimentos no sector.

A petrolífera Total é hoje a maior produtora de petróleo em Angola, já que quatro em cada dez barris exportados pelo País são de poços em que esta empresa francesa é a operadora do bloco. A Total controla aquele que é considerado a "galinha dos ovos de ouro" da produção de petróleo em Angola, o Bloco 17, cuja produção tem vindo a cair desde 2016, acompanhando a tendência nacional de diminuição da produção.

O declínio da produção de petróleo em Angola é hoje a principal preocupação das autoridades, já que este sector é o "ganha-pão" da economia nacional.

A acompanhar a diminuição da produção no País, o Bloco 17 chegou a exportar 254 milhões de barris em 2015 e baixou para 196,2 milhões em 2018. A Total detém 40% e tem como parceiros a Esso, Equinor e a British Petroleum (BP).

De acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI) inverter o declínio da produção do crude em Angola nos próximos anos é uma empreitada quase impossível, por isso Angola deve apostar na competitividade das empresas fora do sector petrolífero. A justificação, segundo o representante residente do FMI Max Alier, que falava recentemente no Fórum sobre Competitividade e Inovação, é a falta de investimentos e do amadurecimento dos campos, sobretudo na Zona Sul de Cabinda. (...)


(Leia o artigo integral na edição 536 do Expansão, de sexta-feira, dia 9 de Agosto de 2019, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i