Liderança, empreendedorismo e género

Liderança, empreendedorismo e género

Estão a ser criados projectos que abracem a maior diversidade da nossa sociedade? Estão a ser devidamente promovidos, financiados, divulgados? A nossa sociedade está em fase de mudança? Ou somos nós que a podemos mudar? Ser empreendedor é um desafio permanente e constante, com altos e baixos, com riso e choro, com dinheiro e, se calhar, sem ele.

Em algum momento da sua vida, teve um sonho que desejou concretizar, acreditou que poderia fazer a diferença e, com isso, talvez tenha decidido criar o seu negócio. Por gosto, por necessidade, por vontade de querer fazer a diferença, para ganhar algum ou muito dinheiro... na verdade, o mundo está cheio de sonhadores que um dia ousaram concretizar os seus sonhos e os transformaram em realidade.

Esta talvez seja a visão idílica dos empreendedores, afinal o empreendedorismo sempre existiu e é ele que tem permitido conhecer e descobrir diferentes produtos e serviços.

A este propósito, é de referir que na semana de 18 a 24 de Novembro realizou-se mais uma edição da Global Entrepreneurship Week (GWE)/ Semana Global Empreendedorismo, com a participação de mais de 170 países. Este evento, promovido localmente pela Acelera Angola e pelo Clube das Mulheres Empresárias, apresentou várias iniciativas dedicadas aos empreendedores, potenciais investidores, mentores, parceiros de negócios e curiosos. Em paralelo, decorreu a WED - Woman Entrepreneurship Day/Dia da Mulher Empreendedora, Startupweekand assim como outras iniciativas realizadas por instituições como Found Institute Angola, Empreender Transforma e Orange Corners.

O empreendedorismo parece que veio para ficar, ou melhor, o empreendedorismo sempre existiu no nosso País, o que está a acontecer visa apenas dar-lhe uma visibilidade maior e posicionar o empreendedorismo angolano à escala mundial.

Consequentemente, novas formas de gerir, novas formas de liderar adaptadas a estas necessidades. Um empreendedor é, muitas das vezes, líder de si mesmo, sem equipa e assumindo as diversas responsabilidades associadas ao seu negócio ou serviço e que lhe permitam fazer com que o seu negócio floresça e prospere.

Exige-se que um empreendedor seja focado, resiliente, organizado, sonhador, líder. Exige- -se, mas nem sempre este detém as competências necessárias, então, entre tentativas de maior insucesso e sucessos, com alguma formação (nem sempre possível), consegue ser um empreendedor que gere o negócio. Mas ser empreendedor não é apenas concretizar um sonho, ser empreendedor é construir algo que seja rentável. (...)

(Leia o artigo integral na edição 552 do Expansão, de sexta-feira, dia 29 de Novembro de 2019, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i