Luandenses vão menos vezes às compras mas gastam mais dinheiro

Luandenses vão menos vezes às compras mas gastam mais dinheiro
Foto: César Magalhães

Também trabalham menos (70%), andam menos de carro (75%) e passaram a estar mais tempo em casa (95%). O maior receio é serem contaminados (43%).

Os habitantes de Luanda vão menos às compras, mas gastam mais dinheiro neste período de estado de emergência, conclui um estudo da Marktest Angola apresentado esta semana. De acordo com o estudo, 93,7% dos luandenses confirma que vai menos às compras, 47,6% diz que gastou mais e 14,6% muito mais, embora 98% dos inquiridos confirmem que o preço dos bens alimentares aumentou.

Apenas 26% diz que gastou menos nas compras no mês de Abril e 7,8% confirma que o valor foi idêntico. Curioso o facto de 20% dos entrevistados justificar o aumento dos gastos com o facto de ter deixado de comprar a grosso ou a amigos/sócios, onde os preços eram mais acessíveis.

Naquilo que foram as suas actividades, 70% confirma que diminuiu o seu trabalho, 98% que deixou de participar em cultos religiosos ou ir à igreja, 95% confirma que passou a estar mais tempo em casa, 75% utiliza menos o seu carro e 60% faz menos caminhadas. A este propósito, uma curiosidade: 29% dos entrevistados diz que agora anda mais a pé, o que está relacionado com o facto de fazer pequenas distâncias no seu dia a dia, não se justificando a utilização de carro.

Nas alterações dos hábitos de higiene, é de destacar que 92% diz que agora limpa mais vezes a casa, 92% afirma que aumentou o número de vezes que lava as suas mãos e 63% confirma que passou a descalçar os sapatos à porta de casa. (...)


(Leia o artigo integral na edição 573 do Expansão, de sexta-feira, dia 8 de Maio de 2020, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i