Lucros da banca encolhem 15,8% pressionados por prejuízo do BPC

Lucros da banca encolhem 15,8% pressionados por prejuízo do BPC
Foto: César Magalhães

Maior banco estatal abriu 2020 com um resultado líquido negativo de 102,4 mil milhões Kz, empurrando os lucros em bloco dos 23 bancos que apresentaram balancetes para uma queda de quase 18 mil milhões Kz face ao I trimestre de 2019. Sem o BPC, os lucros dos restantes 22 bancos dispararam 75,2%.

As contas dos 23 bancos comerciais que publicaram os balancetes do primeiro trimestre deste ano até dia 27 de Maio registaram uma queda nos lucros de 15,8% para 96 mil milhões de Kz, influenciada pelo balanço do Banco de Poupança e Crédito (BPC) que obteve um prejuízo de mais de 102,3 mil milhões Kz, de acordo com cálculos do Expansão.

Os balancetes não trazem explicações sobre o comportamento das rubricas dos balanços individuais dos bancos, mas os números e o histórico de prejuízos no maior banco estatal ajudam a compreender o quadro do sector no período.

Aliás, o BPC já vem de uma falência técnica registada no balanço de todo o ano 2019, já que, no período, os passivos eram superiores aos activos, como noticiou o Expansão na edição de 15 de Maio.

No primeiro balancete deste ano, a situação repetiu-se. O próprio PCA do banco, André Lopes, reconheceu parte destas fragilidades do banco na mensagem que acompanha o relatório e contas de 2019. André Lopes considera que o novo Plano de Recapitalização e Reestruturação do banco, a ser implementado no período de 2020- 2023, tem como principais objectivos recompor os fundos próprios e a solvabilidade, garantir níveis de liquidez adequados, reduzir os custos operacionais e de funding para níveis mais sustentáveis.

Entre as estratégias para voltar a colocar o banco a operar em pleno consta ainda sanear a carteira de crédito, reforçar os sistemas de controlo interno e de gestão de riscos e implementar uma plataforma "sustentável" de negócio, eliminando os constrangimentos operacionais que afectam a imagem e a reputação da instituição.

Voltando aos balancetes do I trimestre de 2020, ainda que somados os lucros dos três maiores bancos em activos (BAI, BFA e BIC), mal davam para cobrir o buraco com que o BPC arrancou este ano. Aliás, se não forem contemplados os resultados do BPC, os lucros dos restantes 22 bancos cresceram 75,2%, passando de 113,3 mil milhões Kz para 198,4 mil milhões Kz.

Só três bancos registaram prejuízos no período: BPC, Kwanza Investe e Banco da China. Os restantes obtiveram lucros, com destaque para o BAI, o "campeão dos lucros", com os resultados líquidos a dispararem 55% para 53,3 mil milhões Kz. BDA e BFA completam o top 3 dos lucros (ver gráficos na edição impressa). (...)

(Leia o artigo integral na edição 576 do Expansão, de sexta-feira, dia 29 de Maio de 2020, em papel ou na versão digital disponível aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i