Director Carlos Rosado de Carvalho

"Não sei se sou poupada, o que sei é que distribuo muito dinheiro"

"Não sei se sou poupada, o que sei é que distribuo muito dinheiro"
Foto: César Magalhães

A política surgiu de forma "hereditária" em Alexandra Simeão, mas não é filiada em nenhum partido, porque prefere não ficar "refém" do sistema. Garante que não resiste a apoiar uma causa solidária e admite ser materialmente desprendida.

Quando começou a sentir o gosto pela política?

Acho que foi na barriga da minha mãe. Tenho uma família muito ligada à política, que sempre foi interventiva e a política sempre foi uma paixão. Os meus filhos falam política, os meus pais, os meus tios falavam muito de política e acabei por ficar contaminada e de alguma forma estou a passar isso aos meus filhos.

Tem saudades da política activa?

Eu estou na política activa, essa é uma das minhas grandes missões neste momento. Há um conceito errado de que para se fazer politica activa temos que pertencer a um partido politico. Discordo plenamente, os partidos têm um espaço próprio na sociedade, mas depois à sociedade civil cabe um

papel extraordinariamente interventivo, regulador e também e de alguma forma fiscalizador. A minha

decisão de ser independente foi pensada, pretendeu mostrar às pessoas que não temos que ser reféns

dos partidos políticos.

É poupada ou gasta tudo o que ganha?

Não sei se sou poupada, se gasto todo o dinheiro que tenho. O que sei é que distribuo muito dinheiro.

Gasto comigo, com os meus filhos, mas para além disso há sempre uma quantidade de situações.

Todas as acções de solidariedade que vêm propor-me, empenho-me. Gasto, porque não vivo para

juntar. A vida é curta, mas felizmente não gasto só comigo.

(Leia mais na edição em papel do Expansão)

(Leia mais na edição em papel do Expansão)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i