Director Carlos Rosado de Carvalho

Quase três milhões de pessoas enfrentam a fome

Quase três milhões de pessoas enfrentam a fome

Governo do Malawi decretou estado de emergência no mês de Abril e diz serem necessárias 1,3 milhões de toneladas de milho para conseguir fazer frente à crise alimentar. Programa das Nações Unidas considera que seca agravada poderá afectar mais de oito milhões de pessoas até ao próximo ano.

Quase três milhões de pessoas enfrentam, actualmente, a fome no Malawi devido à grave seca que há muito grassa naquela região e que foi já considerada como a mais profunda a afectar a África Austral nas duas últimas décadas. Na origem do problema estão as culturas intensivas e, principalmente, o fenómeno meteorológico El Niño.
Dirigindo-se ao país, no seu discurso do Estado da Nação, na passada sexta-feira, o presidente do Malawi, Peter Mutharika, disse que 2,8 milhões de pessoas necessitam, actualmente, de tratamentos para a malnutrição
no país. A intervenção segue-se à proferida, na passada semana, pelo ministro da Agricultura do Malawi, George Chaponda.

O governante, que falava no Parlamento, indicou que o número de pessoas que poderão não ter possibilidade de cultivar os seus próprios alimentos entre 2016 e 2017 poderá atingir os 8,4 milhões, número que resulta de
uma avaliação à situação no terreno por elementos do programa das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura.

(Leia mais na edição em papel do Expansão, de 3 de Junho)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i