Director Carlos Rosado de Carvalho

Cada trabalhador da Sonangol custa 11.220 USD mês aos cofres da empresa

Cada trabalhador da Sonangol custa 11.220 USD mês aos cofres da empresa

A Sonangol registou em 2015 custos com pessoal de 1,1 mil milhões USD que divididos pelos 8.279 trabalhadores que faziam parte da folha salarial da empresa em 31 de Dezembro de 2015 dá um custo médio de 11.220 USD mês por trabalhador, de acordo com cálculos do Expansão a partir do relatório e contas de 2015 da petrolífera.

Comparando com os anos anteriores, os custos por trabalhador baixaram face aos 12.753 USD de 2014, mas aumentaram relativamente aos 10.607 USD de 2103.
Os custos com pessoal incluem, além dos salários e ordenados, prémios e outras remunerações, encargos com a segurança social, fundos de pensões e seguros, despesas médicas e com formação, estadias e até festas de confraternização e acção, entre outras rubricas.
Só em festas de confraternização e acção, a concessionária de hidrocarbonetos gastou no ano passado 95,1 milhões USD. Há pelo menos dois anos que esta rubrica não pára de crescer: Em 2014 consumiu 80,3 milhões USD aos cofres da empresa e no ano anterior 71,5 milhões USD.
Se considerarmos apenas os ordenados e salários, concluímos que, em média, os trabalhadores da Sonangol ganharam 5.954 USD mensais vezes 12 meses, em 2015. Se além dos ordenados e salários considerarmos os prémios e outras remunerações, cada trabalhador da companhia auferiu 8.320 USD mensais no ano passado.

O relatório e contas da Sonagol de 2015 revela, por outro lado, que os auditores independentes, no caso da Erns & Young (E&Y) levantaram reservas sobre activos de 8,8 mil milhões USD da companhia por terem dúvidas sobre a sua recuperabilidade, nuns casos, a sua origem e natureza, noutros, ou simplesmente porque estão sobrevalorizados.
Apesar das reservas milionárias levantadas, os auditores da E&Y acabaram por aprovar as contas de 2015. Mas não sem antes deixarem um recado: "Face ao contexto actual do sector petrolífero e às previsões existentes (o relatório é datado de 14 de Abril de 2016) em termos de evolução do preço do petróleo, a continuidade das operações do Grupo (Sonangol) encontra se dependente do continuado apoio do accionista e da realização de operações lucrativas em exercícios futuros".

(Leia a notícia na íntegra na edição 383 do Expansão, de sexta-feira 12 Agosto 2016, em papel ou versão digital com pagamento em kwanzas)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i