Director Carlos Rosado de Carvalho

A ascensão e queda de um império de mais de vinte empresas

A ascensão e queda de um império de mais de vinte empresas

O Grupo Bartolomeu Dias actua em vários sectores, desde a indústria à camionagem. Com a paralisação do serviço aeronáutico, a facturação do grupo ressentiu-se. As dificuldades financeiras e a falta de divisas são os grandes desafios mas o proprietário recusa a ideia de falência.

O Grupo Bartolomeu Dias (Grupo BD) tem no seu currículo empresarial histórias de fracassos e sucessos que podem inspirar homens e mulheres nos negócios e que, neste momento de crise, o inspiram a ele próprio. O grupo que até já figurou na lista dos 25 melhores grupos empresariais africanos, através dos Africa Economy Builders Awards, que distingue os arquitectos da economia africana, vive hoje dias difíceis, mas o proprietário que lhe dá o nome, apesar de admitir dificuldades financeiras para manter o seu império empresarial em funcionamento, recusa a ideia de queda.

Bartolomeu Dias, o patrão do grupo criado em 1990 e constituído por mais de duas dezenas de empresas, avança que está a resistir à crise porque se preparou para "os bons e maus momentos" e afirma que "faltam regras para uma competição saudável entre empresas."

"A nossa economia deveria estar melhor, sem dúvida, mas hoje estamos nesta situação porque o País não foi preparado", nota, questionando as medidas de combate à crise. Falando do mundo de negócios do Grupo BD, garante que "tem resistido" com base na estratégia que montou.

(Leia o artigo na integra na edição 419 do Expansão, de sexta-feira 28 de Abril de 2017, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i