Director Carlos Rosado de Carvalho

Realidade Económica vs. Promessas Eleitorais

Realidade Económica vs. Promessas Eleitorais

"O eleitor tem noção que estamos em crise económica, isto ninguém precisa de repetir. O que ele quer ouvir é como sair desta crise".

Estamos em querer que a transição política iminente em Angola deverá ser fundamentalmente económica, daí o fervilhar de opiniões sobre os caminhos económicos a seguir. Talvez seja por este motivo que os "pseudo-economistas" (vindos das áreas de relações internacionais e das ciências jurídicas) advoguem conhecer os meandros da ciência económica, mas que se esquivam quando se lhes exige o cálculo de uma mera taxa de crescimento.

Temos de ter cuidado, porque hoje todos são ou pensam que são economistas, levando ao descrédito daqueles que, de facto, fizeram e fazem das ciências económicas a sua área de estudo e trabalho. O conhecimento económico é decisivo para que os cidadãos possam "espremer" os programas eleitorais que vão sendo apresentados e, assim, valorizar o exercício de voto.

Já aqui pedimos a elevação do debate político e a praticidade e exequibilidade dos programas e promessas eleitorais. É inconcebível que se façam promessas vazias (ou, pelo menos, sem o devido desdobramento), até porque já não somos o mesmo eleitorado de há 5 anos atrás.

*Mestre em Finanças, docente universitário

(Leia o artigo na integra na edição 419 do Expansão, de sexta-feira 28 de Abril de 2017, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i