Director Carlos Rosado de Carvalho

Sonhar para quê?

Sonhar para quê?

Sonhar é próprio do ser humano, o difícil é sonhar acordado, ao encontro de uma profissão, que traga o chamamento para uma verdadeira vocação, que potencie talento, habilidades e valores pessoais.

Falarei hoje sobre a verdadeira capacidade das empresas para gerir talentos, reconhecer valores e transformar sonhos em realidades. Esta é a única forma de desenvolver competências, baseadas na vocação de cada colaborador.

Vocação deriva do latim "vocare" / chamar. Na realidade, a vocação é um chamamento e traz com ela, de forma realista, a nossa entrega pessoal àquilo que mais nos anima.

Todos nós temos habilidades natas e adquiridas ao longo da vida, que, através de chamamentos, nos vão dando orientações remissivas para propósitos de vida.

Com frequência, quer na selecção do curso a frequentar, ou da profissão, as decisões são tomadas em função de factores financeiros, sociais, familiares, ou até de modas.

A escolha e o planeamento de carreira devem ser feitas com assertividade, o perfil, os desejos os sonhos, os objectivos e as necessidades, ao invés de influências, que contrariem em tudo a qualidade de vida e o progresso saudável.

*Consultor

(Leia o artigo na integra na edição 424 do Expansão, de sexta-feira 2 de Junho de 2017, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i