Director Carlos Rosado de Carvalho

Pessimismo dos empresários voltou a baixar no II trimestre

Pessimismo dos empresários voltou a baixar no II trimestre

O Indicador de Clima Económico do Instituto Nacional de Estatística, que mede as perspectivas dos empresários sobre a evolução da economia no curto prazo recuperou três pontos entre I trimestre de 2017 face ao segundo, embora permaneça em terreno negativo. Construção, comércio e turismo são os mais pessimistas.

O pessimismo dos empresários e gestores sobre as perspectivas de evolução da economia angolana no curto prazo voltou a cair no segundo trimestre, a segunda queda consecutiva, revela o inquérito de conjuntura económica do Instituto Nacional de Estatística (INE) referente ao período Abril-Junho de 2017.
O Indicador de Clima Económico (ICE) recuperou três pontos fixando-se nos -21 pontos no segundo trimestre de 2017, contra os -24 pontos do I trimestre de 2017. Os 21 pontos negativos do ICE correspondem ao saldo das respostas extremas, isto é, a diferença entre as avaliações positivas e as negativas dos gestores e empresários sobre as perspectivas de evolução da economia, ou seja, diminuiu a percentagem dos empresários e gestores com perspectivas negativas sobre a marcha da economia nacional no curto prazo.
O ICE é a média dos indicadores de confiança (IC) de sete sectores de actividade, nomeadamente Indústria Transformadora, Construção, Comércio, Transportes, Indústria Extractiva, Turismo e Comunicação.

(Leia o artigo na integra na edição 437 do Expansão, de sexta-feira 01 de Setembro de 2017, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i