Director Carlos Rosado de Carvalho

Inflação "furou" meta do Governo a quatro meses do fim do ano

Inflação "furou" meta do Governo a quatro meses do fim do ano

O custo de vida em Luanda aumentou 17% nos primeiros oitos meses de 2017, quando o Governo apontava para 15,8% para a totalidade do ano. De acordo com cálculos do Expansão, se os preços aumentarem ao ritmo mensal de 1,5%, como é objectivo do Executivo, a inflação encerrará o ano nos 24,2%.

O custo de vida em Luanda, que serve de referência para a taxa de inflação em Angola, aumentou 17% nos primeiros oito meses de 2017, furando a meta de 15,8% para a totalidade do ano estabelecida pelo Governo.
De acordo com os dados do Instituto Nacional de Estatísticas (INE), o índice de preços no consumidor (IPC) na Província de Luanda aumentou 1,6% em Agosto face a Julho, elevando a taxa de inflação acumulada, que mede o aumento do IPC num determinado mês face a Dezembro do ano anterior, para 17% em Agosto, 1,2 pontos percentuais acima do objectivo do Governo para a totalidade do ano.
O ritmo mensal de aumento do custo de vida na Província capital baixou 0,2 pp, de 1,8% em Julho pra os referidos 1,6% em Agosto, mas ainda assim continua acima dos 1,5% que o Presidente da República definiu como objectivo para a inflação mensal .
A inflação anual ou homóloga, que mede a variação num determinado mês do ano face ao mesmo mês do ano anterior, fixou-se nos 26,9% recuando 2,1 pp face aos 29% de Julho, a oitava queda consecutiva.


(Leia o artigo na integra na edição 439 do Expansão, de sexta-feira 15 de Setembro de 2017, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i