Director Carlos Rosado de Carvalho

"A música dá-me oportunidade para investir noutras áreas"

"A música dá-me oportunidade para investir noutras áreas"

O autor da música "Sem Norte" conta que tem a arte como fonte de rendimento, mas não depende dela a 100%. Em entrevista ao Expansão, o músico revela que o público pode esperar pelo seu primeiro trabalho discográfico no próximo ano.

Quando e como começou a fazer música?
Comecei a fazer música em 2004. No princípio, não cantava R&B, nem kizomba, mas sim músicas do estilo rap. Mas, como tinha queda para a produção, comecei a produzir música e, mais tarde, senti que poderia fazer outros estilos até que atingi esse formato. Hoje percebo que não devo limitar-me a apenas um estilo, quando tenho habilidade para fazer outros.


Quando pensa congregar todas as suas as músicas num disco?
Actualmente, tenho cinco músicas disponibilizadas no mercado, sendo que a última foi lançada, recentemente, e tem como título "Passou". É uma música que retrata um amor sofrido e é diferente das outras. Caso as coisas corram conforme estou a perspectivar, possivelmente, lançarei o primeiro disco no primeiro trimestre do próximo ano.


Sempre foi desejo seu fazer música?
Eu fui mais consumidor do que fazedor de música, não sou dos artistas que fazem música desde os cinco anos. Acho que comecei a fazer música tarde. Mas independentemente disso, sempre procurei fazê-lo da melhor forma. Sinto que o meu trabalho tem impacto na vida das pessoas que estão a ouvi-la e esse cuidado sempre levei em consideração.

(Leia o artigo na integra na edição 439 do Expansão, de sexta-feira 15 de Setembro de 2017, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i