Director Carlos Rosado de Carvalho

Mais-valias potenciais explicam lucros do Fundo Soberano

Mais-valias potenciais explicam lucros do Fundo Soberano

A reavaliação dos investimentos em subsidiárias permitiu ao FSDEA contabilizar "mais-valias potenciais em 2016 na rubrica resultados de investimentos em subsidiárias no montante de 87.562 mil USD", enfatiza o auditor independente do fundo que gere os excedentes do petróleo.

O Fundo Soberano de Angola (FSDEA) obteve em 2016 os primeiros lucros desde a sua fundação, um ano mais cedo do que o previsto, impulsionados por mais-valias potenciais que segundo enfatizam os auditores da Deloitte se revestem de alguma "subjectividade".
O FSDEA encerrou o exercício de 2016 com resultados líquidos de 44 milhões USD, os primeiros da sua história, de acordo com as contas publicadas no Jornal de Angola de 10 de Setembro. Entre o início das suas operações em Outubro de 2012 e 2015, o fundo acumulou prejuízos de pouco menos de 340 milhões USD. Segundo declarou o seu presidente do conselho de administração, Filomeno dos Santos, ao Expansão de 29 de Setembro de 2016, o plano do Fundo era alcançar a lucratividade apenas em 2017.
"O FSDEA alcançou a rentabilidade financeira em menos de três anos de actividade, apesar do contexto difícil de investimento que se regista internacionalmente desde 2013", congratula-se o filho do Presidente da República cessante José Eduardo dos Santos, em comunicado à imprensa datado de 19 de Setembro.

(Leia o artigo na integra na edição 440 do Expansão, de sexta-feira 22 de Setembro de 2017, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i