Director Carlos Rosado de Carvalho

Mulher...

Mulher...

A mulher tem um papel imprescindível na sociedade, basta ver a forma como cada vez mais se afirma como empresária, gestora e, principalmente, gestora familiar.

Com um papel indiscutível no desenvolvimento humano e pela sua forte defesa e preservação da família, a mulher angolana sempre teve um papel essencial na atenuação dos efeitos da pobreza, quer através do equilíbrio da economia doméstica e agrícola, quer, nos dias de hoje, pelo envolvimento crescente nos distintos sectores de actividade.
A maioria dos estudos internacionais indica que as actividades com intervenção da mulher têm um desenvolvimento mais sustentado e com maior impacto positivo nas comunidades onde se inserem.
É essa sensibilidade humana e "sentido de persistência e sofrimento" que a levam a partilhar mais as suas emoções e sentimentos, criando um maior sentido de solidariedade.
Nesta cadeia de valor, a mulher coloca em primeiro lugar a empregabilidade de outras mulheres, garantindo desta forma um melhor rendimento para as famílias, bem como fazendo crescer este sentido de comunidade, tão importante para a sua capacitação e afirmação.
Olhando para os números, a percentagem de mulheres que vive em zonas rurais, comparativamente às zonas urbanas, começa a equilibrar, o que indica, nos últimos anos, um elevado nível de fluxos de mulheres para as cidades, na tentativa de melhoria de qualidade de vida.
No entanto, na maioria dos casos, nas zonas rurais, é a mulher que assegura a maioria das tarefas, não pondo de parte em nenhum momento, a sua responsabilidade social.

(Leia o artigo na integra na edição 440 o Expansão, de sexta-feira 22 de Setembro de 2017, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i