Director Carlos Rosado de Carvalho

Brent aproxima-se dos 60 USD

Brent aproxima-se dos 60 USD

A OPEP e a Rússia apelaram para que os produtores continuem com os seus esforços de implementação das metas do acordo de corte de produção.

A OPEP e a Rússia disseram no final da semana passada que o objectivo de eliminar o actual excesso de oferta no mercado de petróleo está a evoluir de forma positiva, mas que há ainda trabalho pela frente até que essa meta possa estar totalmente assegurada. O cartel e o seu principal parceiro no actual acordo de corte de produção de crude disseram também que as previsões de um forte crescimento na produção de petróleo de xisto nos EUA no próximo ano significam que persistem os receios de que prazo de Março 2018 para a conclusão desse acordo possa vir a ser prematuro. Por conseguinte, a OPEP e a Rússia apelaram para que todos os produtores continuassem com os seus esforços de implementação das metas definidas no acordo e, ao mesmo tempo, sugeriram que uma eventual decisão de prolongar o prazo nunca deverá ser tomada antes de Janeiro 2018.
Entretanto, o Brent aproximou-se dos 60 USD por barril no início desta semana depois da Turquia ter ameaçado encerrar a fronteira e "fechar a torneira" do petróleo vindo do Curdistão iraquiano caso o governo local avançasse com um referendo sobre a independência da região. O Curdistão iraquiano depende da Turquia para a exportação do seu crude, que pode atingir os 700 mil barris diários. A valorização do Brent durou, no entanto, pouco tempo já que uma subida sustentada do preço acima dos 60 USD tem-se provado dificil de materializar na actual conjuntura. Relembre-se que este é, para muitos, o nível que pode desencadear uma reacção dos produtores de petróleo de xisto a aumentarem a sua oferta.

(Leia o artigo na integra na edição 440 o Expansão, de sexta-feira 22 de Setembro de 2017, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i