Director Carlos Rosado de Carvalho

SADC desafia Estados-membros a investirem mais no turismo

 SADC desafia Estados-membros a investirem mais no turismo

Com uma indústria que, em 2010, contribuiu com 940 mil milhões USD para a economia mundial, a Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) quer um maior compromisso dos países membros no turismo. E maiores fatias nos orçamentos de Estado para reforçar a aposta no sector.

O secretário executivo interino da SADC, o sul-africano Thembinkosi Mhlongo, desafiou esta quarta-feira os Estados-membros da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral a melhorarem a "competitividade da indústria do turismo" para promover e comercializar o sul do continente como "destino turístico único e multifacetado".
Apesar do crescimento do turismo na região, indústria que contribuiu em 2010 com 940 mil milhões USD para a economia mundial, o sector ainda "não recebeu a atenção adequada dos governos", reconhece Thembinkosi Mhlongo, apesar do Protocolo assinado em 1998, por todos os Estados-membros.
Por isso, a organização aproveitou o Dia Mundial do Turismo, assinalado a 27 de Setembro, para reforçar a determinação da SADC em dar prioridade ao turismo como meio de desenvolvimento económico sustentável e de integração regional.
Como sublinhou Thembinkosi Mhlongo, o turismo, devido à interconectividade entre vários sectores, propicia a procura por bens e serviços e, no processo, "catalisa o desenvolvimento holístico da economia". Para além da hotelaria, mobiliza as indústrias da comunicação e tecnologia, conservação, agricultura, manufactura e energia e águas
Mhlongo deu como exemplo muitos destinos turísticos no sul de África, onde os operadores encontram mercados para produtos locais, nomeadamente agrícolas e artesanais", gerando, com isso, "oportunidades de emprego para membros das comunidades".
Mas não basta ter "características naturais únicas e diversidade de recursos turísticos". Nem chegam os esforços que os Estados membros da SADC têm vindo a fazer, no sentido de melhorar a qualidade do serviço, os padrões de segurança e as infraestruturas, requisitos essenciais para atrair turistas.

(Leia o artigo na integra na edição 441 o Expansão, de sexta-feira 29 de Setembro de 2017, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i