Director Carlos Rosado de Carvalho

KPMG investigada por suspeitas de falsear relatórios de auditorias

KPMG investigada por suspeitas de falsear relatórios de auditorias

Apanhada no escândalo de corrupção que envolve o grupo dos irmãos Gupta, a KPMG está a ser investigada na África do Sul. As suspeitas de falsear relatórios de auditoria levaram oito executivos a pedir a renúncia e à perda de clientes. Outras consultoras também foram afectadas, num caso que abala todo o sistema bancário.

A KPMG é a mais recente vítima do escândalo que envolve o grupo da família indiana Gupta na África do Sul. Depois de o Presidente Jacob Zuma, acusado de favorecer a expansão do grupo Oakbay, graças às ligações de amizade com os três irmãos Gupta, o escândalo envolveu as empresas de consultoria e auditoria que operam no país, atingindo com particular gravidade a KPMG.
O CEO Trevor Hoole e sete consultores seniores renunciaram aos cargos, em Setembro, em troca de indemnizações, e, esta quinta-feira, o novo Conselho de Administração da empresa compareceu perante a Comissão Permanente das Contas Públicas no Parlamento (SCOPA, na sigla em inglês), para explicar os serviços que a consultora prestou ao grupo Oakbay , durante 15 anos, e as informações que transmitiu ao departamento de receita federal.
No Parlamento, o presidente da SCOPA, Themba Godi, pediu à delegação da KPMG, liderada pela recém-nomeada CEO, Nhlamu Dlomu, para responder "com honestidade" às questões enviadas pela comissão. A empresa tem até segunda-feira, dia 9 de Outubro, para submeter os seus relatórios anuais.

(Leia o artigo na integra na edição 442 o Expansão, de sexta-feira 06 de Outubro de 2017, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i