Director Carlos Rosado de Carvalho

O despertar de uma nova realidade

O despertar de uma nova realidade

Há cerca de duas semanas escrevi sobre a importância de os profissionais e departamentos de recursos humanos se reinventarem. Sendo um tema de tão grande importância, importa voltarmos a ele.
A verdade é que as organizações competitivas estão numa busca incessante de talento, não apenas nos locais onde operam, mas a nível global. Ou seja, cada vez menos importa a nacionalidade do talento, mas sim, importa, as suas características. Obviamente que ainda existem constrangimentos de autorizações de trabalho em alguns países para algumas nacionalidades, mas isso tende a diminuir, muito por culpa de cada vez mais ser possível o trabalho remoto.
Sendo tão importante esta busca de talento nos seus mais diversos estádios de maturidade, não importa então ter um forte e consolidado departamento de recursos humanos, com pessoas especializadas em recrutamento e seleção? Na minha opinião, não, até porque a maioria destes profissionais não tem mundo, ou seja, não tem experiência internacional, não tem network global e cinge-se a gerir, na sua maioria, o que lhes aparece no linkedin ou então a gerir agências de recrutamento.
Se o linkedin é uma ferramenta excelente, a verdade é que muitas pessoas se candidatam por esse meio, o que faz com que haja um tráfego gigante de curriculum vitae para qualquer posição, perdendo-se pelo meio muitos interessantes candidatos.


Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i