Director Carlos Rosado de Carvalho

Dívida da cimenteira do Kwanza Sul está no Ministério da Indústria desde 2010

Dívida da cimenteira do Kwanza Sul está no Ministério da Indústria desde 2010
Foto: César Magalhães

O empréstimo de 41 mil milhões Kz, cerca de 432,6 milhões USD ao câmbio da altura, concedido pela Sonangol à FCKS, ao abrigo da Lei do Fomento Empresarial nº 14/03 de 18 de Julho de 2003, passou a ser titulado pelo Instituto de Desenvolvimento Industrial de Angola.

O financiamento da construção da Fábrica de Cimentos do Kwanza Sul (FCKS) realizado pela Sonangol, ao abrigo da Lei do Fomento Empresarial, foi transferido, em 2010, para o Instituto de Desenvolvimento Industrial de Angola (IDIA), de acordo com o relatório e contas de 2011 da petrolífera.
O documento refere que, em 2010, o valor do financiamento à cimenteira estava avaliado em 41 mil milhões Kz, cerca de 432,6 milhões USD ao câmbio da altura. "Por decisão do accionista da Empresa [leia-se o Estado], o empréstimo da FCKS, ao abrigo da Lei do Fomento Empresarial nº 14/03 de 18 de Julho de 2003, passou a ser titulado pelo Instituto de Desenvolvimento Industrial de Angola tendo sido a sua recuperação efectuada com base nos procedimentos em vigor", refere o relatório.
O Expansão apurou que o financiamento foi disponibilizado pela petrolífera, depois de ter sido obtido no mercado internacional. A construção da cimenteira teve início em 2008 e foi concluída em 2012.
Esta semana, em comunicado, na sequência do anúncio de que a FCKS suspendeu a produção da fábrica por falta de abastecimento de fuel CFO, a Sonangol desmentiu a suspensão do abastecimento daquele combustível à cimenteira do Kwanza Sul, e faz referência à pretensa dívida que estará por pagar.

(Leia o artigo na integra na edição 447 do Expansão, de sexta-feira 10 de Novembro de 2017, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i