Director Carlos Rosado de Carvalho

João Lourenço já fez 113 exonerações e não deve parar por aqui

João Lourenço  já fez 113 exonerações  e não deve parar por aqui
Foto: Quintiliano dos Santos

Das empresas estatais estratégicas ao BNA e representações diplomáticas, passando pelas forças armadas e polícia nacional, nos dois meses em que ocupa o cargo o Presidente da República já procedeu a várias "danças das cadeiras". O objectivo é "moralizar o sector público".

O Presidente da República (PR), João Lourenço (JLO), já fez 113 exonerações desde que assumiu o cargo a 26 de Setembro deste ano, de acordo com uma pesquisa do Expansão com base nos decretos publicados em Diário da República e comunicados oficiais.
Entre exonerados de um cargo e nomeados para outros lugares ou simplesmente exonerados e "empurrados" para fora do circulo público ou para a reforma, são mais de uma centena de exonerações, algumas com "pesos pesados" que estavam há vários anos nos lugares.
A mais "sonante" foi de Isabel dos Santos, que deixou de ser PCA da Sonangol um mês depois de esta ver os seus poderes "reforçados", com a alteração dos estatutos orgânicos da petrolífera. A alteração, aprovada pelo então PR, José Eduardo dos Santos, seu pai, a cinco dias antes de deixar o poder, atribuía-lhe competências para distribuir os pelouros no conselho de administração.
Entretanto, para PCA da Sonangol, o PR nomeou Carlos Saturnino, que tinha sido "despedido" por Isabel dos Santos do cargo de presidente da Comissão Executiva da Sonangol Pesquisa & Produção, sob acusação de apresentar as "maiores debilidades de gestão e desvios financeiros". Isabel dos Santos assumiu ela própria o cargo.

(Leia o artigo na integra na edição 450 do Expansão, de sexta-feira 01 de Dezembro de 2017, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i