Director Carlos Rosado de Carvalho

Lançamento do primeiro satélite angolano novamente adiado

Lançamento do primeiro satélite angolano novamente adiado
Foto: César Magalhães

A empresa que vai gerir o satélite, a Infrasat, viu alterada a sua estrutura accionista em Agosto, passando de uma unidade de negócio da Angola Telecom a uma sociedade anónima, num processo de privatização que, segundo apurou o Expansão, não envolveu a realização de um concurso público.

O lançamento do satélite Angolano Angosat1 foi adiado de 7 para 26 de Dezembro, informou a empresa estatal russa RSC Energia, sem adiantar os motivos que levaram a um novo adiamento.
O satélite será "controlado em terra" pela INFRASAT, uma antiga unidade de negócios da Angola Telecom, que a partir de Agosto passou a sociedade anónima, integrando na estrutura accionista as empresas Angola Telecom (40%), as sociedades anónimas GAFP (30%), Lello (20%) e a MACGRA (5%), bem como por "Funcionários do INFRASAT (5%), conforme refere o Despacho Presidencial nº.209/17 de 20 de Julho, no qual é extinta a referida unidade de negócios.
A GAFP S.A é representada na sociedade por Francisco da Silva Cristóvão, presidente não executivo do Conselho de Administração do Banco Comercial Angolano. A Lello é representada pelo empresário Rui Manuel dos Santos (da Sistec) e a MACGRA S.A representada por Zacarias Mendes Café Sebastião António, familiar da falecida Maria Mambo Café, membro do Bureau Político do MPLA.

(Leia o artigo na integra na edição 450 do Expansão, de sexta-feira 01 de Dezembro de 2017, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i