Director Carlos Rosado de Carvalho

Produção industrial em Angola registou uma quebra de 4,6% face ao mesmo período de 2016

Produção industrial em Angola registou uma quebra de 4,6% face ao mesmo período de 2016
Foto: César Magalhães

A extracção de petróleo e diamantes caiu, enquanto as indústrias de produção e distribuição de electricidade, transformadora e distribuição de água tiveram um desempenho positivo.

O sector produtivo angolano registou uma quebra de 4,6%, no ll trimestre de 2017, em relação a igual período de 2016, revela o relatório sobre a produção industrial, em Angola, do Instituto Nacional de Estatísticas (INE).
A indústria extractiva, com um desempenho negativo de 6,6%, foi a que mais contribuiu para a queda do indicador da produção industrial do País. E aqui, a produção petrolífera e a extracção de diamantes, com um crescimento negativo de 6,7% e 1,8%, respectivamente, foram os que mais contribuíram para a evolução desfavorável do sector produtivo no ll trimestre do ano passado.
O relatório do INE revela, por outro lado, que a restante indústria extractiva registou uma variação positiva de 23,4%, face a igual período do ano anterior.
A produção e distribuição de electricidade e indústria transformadora obtiveram um crescimento positivo de 12,9 e 9,6%, respectivamente.

(Leia o artigo na integra na edição 454 do Expansão, de sexta-feira 05 de Janeiro de 2018, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i