Director Carlos Rosado de Carvalho

Portugal e Angola

Portugal e Angola

Dizem que as velhas relações têm sempre os seus problemas. A relação entre Portugal e Angola é mais que velha. Tem centenas de anos. E não começou da melhor forma. Ou melhor, começou da forma que, naquele tempo, todas as invasões começavam. Com episódios tristes e que não deveriam ter acontecido. Mas aconteceram. Foram muitos anos até à libertação de Angola, mas finalmente aconteceu a determinada altura e foi um momento único e bonito da história, não só de Angola, mas também de Portugal. A independência de um povo que merecia ser livre e, devido aos seus heróis nacionais, assim o conseguiu.
Posteriormente, Portugal, formalmente, conseguiu ir ajudando Angola a resolver alguns dos seus problemas, intermediando conflitos entre lados diferentes Angolanos. Mas também houve Portugueses, informalmente, a não ajudar e a ajudar a alimentar os conflitos.
Mais tarde, com o País estabilizado, Angola começa a reconstrução nacional, e Portugal assume-se com um parceiro, não exclusivo (o que é normal), de referência, com muitas das suas empresas de construção e outras empresas satélites a estabelecerem-se em Angola, para colaborar nessa mesma reconstrução. Dadas as necessidades do País, muitas outras empresas, de formação, consultoria, energia, comércio, entre outras, foram-se estabelecendo também em Angola.

(Leia o artigo na integra na edição 456 do Expansão, de sexta-feira 19 de Janeiro de 2018, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i