Director Carlos Rosado de Carvalho

Inspecção Geral do Comércio admite especulação e avança com visitas a supermercados

Inspecção Geral do Comércio admite especulação e avança com visitas a supermercados

Depois de um comunicado a alertar para a prática do crime de especulação, o Ministério do Comércio começa a agir contra os estabelecimentos que violam o regime de preços. Em causa está o aumento generalizado de preços de produtos após a desvalorização cambial que está a ser operada no País.

A Inspecção Geral do Comércio (IGC) inicia, esta sexta-feira, visitas a várias superfícies comerciais, no âmbito da luta contra a especulação de preços, confirmou quinta-feira ao Expansão o inspector-geral Francisco Félix, que prometeu mão pesada para os infractores. Em causa está o aumento generalizado de preços de produtos após a desvalorização cambial que está a ser operada no País.
Pela primeira vez, a IGC vai aplicar multas por reincidência, ferramenta que não tem sido usada e que será acrescida ao valor das sanções pela prática do crime de especulação.
"Desta vez, vai doer, vai doer", afirmou Francisco Félix ao Expansão, adiantando que as infracções, por reincidência, com multas que podem ir dos 20 mil aos 200 mil USD, estão devidamente identificadas, por empresa e por produtos.
As sanções podem ainda implicar o encerramento do estabelecimento, até que a situação de legalidade seja reposta ou até que a multa seja paga, esclareceu ainda o inspector-geral.
O Shopping do Kilamba é a superfície comercial visitada esta sexta-feira, 26 de Janeiro, uma semana depois do alerta do Ministério do Comércio, num comunicado, onde apelou aos agentes económicos para pautarem a sua conduta pelo "cumprimento rigoroso das normas que regem a actividade comercial" e absterem-se de especular.

(Leia o artigo na integra na edição 457 do Expansão, de sexta-feira 26 de Janeiro de 2018, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i