Director Carlos Rosado de Carvalho

Produção de diamantes e mobílias baixaram face a período homólogo

Produção de diamantes e mobílias baixaram face a período homólogo
Foto: César Magalhães

A actividade de produção de petróleo e a exploração de diamantes manteve a tendência de quebra, enquanto a indústria transformadora continuou a crescer.

A fabricação de mobília, produção de madeiras e exploração de diamantes foram os sectores cujo desempenho registou uma quebra acentuada no III trimestre de 2017, face ao mesmo periodo de 2016, revela o relatório sobre a produção industrial do Instituto Nacional de Estatísticas (INE) que aponta ainda uma desaceleração de 2,3% do índice global face ao período homólogo.
Os dados do INE revelam que para este indicador contribuíram negativamente a fabricação de mobília que caiu 40% face ao mesmo período de 2016, enquanto a produção de madeiras e diamantes registou, respectivamente, uma quebra de 22,1% e 17,2% durante o período em referência.
A indústria extractiva, com um desempenho negativo de 4,2% foi o sector que mais contribuiu para a quebra do índice total, embora tenha registado uma variação trimestral positiva de 2,9%.
Dentro do sector extractivo, a produção petrolífera e a exploração de diamantes, com um crescimento negativo de 3,9% e 17,2%, respectivamente, foram os sectores de actividade que mais contribuíram de forma negativa na indústria extractiva. O relatório indica ainda que em termos de variação trimestral, o subsector dos diamantes caiu 8%, enquanto outras indústrias extr?activas cresceram 31,1% comparativamente a igual período de 2016. Entre os quatro sectores inquiridos, a captação, tratamento e distribuição de água foi o que mais cresceu, com 18,6% face ao terceiro trimestre de 2016.

(Leia o artigo na integra na edição 457 do Expansão, de sexta-feira 26 de Janeiro de 2018, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)


Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i