Director Carlos Rosado de Carvalho

Reservas Internacionais podem evaporar em 21 meses

Reservas Internacionais podem evaporar em 21 meses

As Reservas Internacionais Líquidas têm seguido uma marcha de quebra desde o início da crise da cotação do petróleo no mercado internacional, em 2014, estando actualmente avaliadas em 13,3 mil milhões USD, valor próximo das reservas que o País tinha durante a crise económica de 2009.

As Reservas Internacionais Líquidas (RIL) nacionais registaram o segundo valor mais baixo da década em Dezembro de 2017, saindo de 14,2 mil milhões USD em Novembro para os actuais 13,3 mil milhões USD, representando uma quebra de 6,6% face ao décimo primeiro mês do ano passado, indicam os dados preliminares da Estatística Monetária e Financeira do Banco Nacional de Angola (BNA).
Se se mantiver o actual ritmo de quebra das RIL, com uma disponibilização mensal média equivalente a 625 milhões USD, em 21 meses os actuais 13,3 mil milhões USD acabam. Ou seja, a este ritmo, e caso não houvesse entrada de reservas, até Setembro de 2019 Angola ficaria sem RIL.
Para encontrar um valor inferior aos actuais 13,3 mil milhões USD de reservas internacionais é necessário recuar até Janeiro de 2010, período em que as RIL estavam estimadas um pouco acima dos 12 mil milhões USD, volume correspondente ao mínimo histórico da década. Ou seja, menos 10% que os actuais 13,3 mil milhões USD. O ano em que se dá início à crise económica mundial, 2009, foi o período em que as reservas internacionais angolanas começaram a descer a níveis muito baixos, assinalam os indicadores do BNA. No entanto, depois da crise as RIL voltaram a crescer (ver gráfico).

(Leia o artigo na integra na edição 458 do Expansão, de sexta-feira 02 de Fevereiro de 2018, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i