Director Carlos Rosado de Carvalho

Ministério da Agricultura reduz para 100 as licenças para abate florestal

Ministério da Agricultura reduz para 100 as licenças para abate florestal

A medida das autoridades visa garantir maior controlo na exploração de madeira em Angola. Este ano apenas metade dos operadores estão autorizados a trabalhar e a exportação também tem novas regras.

O Ministério da Agricultura vai reduzir o número de licenças concedidas aos operadores que exploram a madeira em Angola para aumentar o controlo da fiscalização da actividade, apurou o Expansão.
Das 200 autorizações que o Ministério da Agricultura emitiu nos último ano, apenas metade vai poder trabalhar em 2018. O objectivo é de facilitar o controlo da exploração da madeira em todo o País e criar uma fileira de produção madeireira que contribua para a diversificação da economia.
Uma fonte ligada ao processo disse ao Expansão que a forma desordenada com que é feita a exploração da madeira, por insuficiência da Lei de Florestas e Fauna, obriga as autoridades a optar por reduzir o número de licenças, medida que visa estimular a competência e ética dos operadores privados.
Com este posicionamento, apesar da aprovação no ano passado da nova legislação sobre floresta e fauna em Angola, pretende-se mudar o sistema de exploração da madeira e fiscalizar mais a actividade devido ao aumento das denúncias sobre actividade ilegal, sobretudo no leste do País.

(Leia o artigo na integra na edição 458 do Expansão, de sexta-feira 02 de Fevereiro de 2018, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i