Director Carlos Rosado de Carvalho

Preços dos escritórios e apartamentos em Luanda caíram até 30%

Preços dos escritórios e apartamentos em Luanda caíram até 30%

A queda dos preços do imobiliário reflecte a redução na procura provocada pela saída de muitos expatriados, em função do reajuste do pessoal nas multinacionais, por causa da crise, revela o estudo da Proprime. Os preços no centro continuam mais caros do que na zona sul, considerada a área de expansão de Luanda.

As rendas dos escritórios na cidade de Luanda caíram, em média, 28,5% em 2017, face a 2016, sendo a maior queda do segmento imobiliário da capital do País, revelam os dados do relatório sobre o mercado imobiliário Angola 2017-2018 da Proprime Yeld. Em relação às vendas, os escritórios na cidade sofreram uma quebra de 21% face a 2016, com o custo por metro quadrado a baixar de 5.250 USD para 4.138 USD.
Comprar um apartamento T4 com 170 metros quadrados na Ingombota custava, em finais do ano passado, em média, 925 mil USD, contra os 992.250 USD registados em 2016. Nesta zona, o valor médio por metro quadrado rondou os 5,4 mil USD em 2017 (ver gráficos).
Já em Talatona, Luanda Sul, uma moradia de tipologia T4, com uma área média de 215 metros quadrados custava, em média, 790 mil USD, no ano passado, contra os 880 mil USD registados em 2016. O preço do metro quadrado chegou a valer, no ano passado, 3.674 USD, o que representa uma quebra de 10,2%, face ao ano anterior.
A baixa de Luanda foi a zona onde os valores dos escritórios registaram menores descidas, cerca de 7% nos preços de venda e 12,5% nas rendas.

(Leia o artigo na integra na edição 459 do Expansão, de sexta-feira 09 de Fevereiro de 2018, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i