Director Carlos Rosado de Carvalho

"A crise adiou quatro anos a saída do meu primeiro disco"

"A crise adiou quatro anos a saída do meu primeiro disco"
Foto: Quintiliano dos Santos

Ndaka Yo Wini faz o pré-lançamento do seu primeiro disco, num concerto, na Casa das Artes, onde poderá partilhar o palco com a sua mãe. "Olukwembo" começou a ser produzido em 2014, mas a crise que afecta o País adiou a sua saída para 2018.

O que se pode esperar do concerto de 17 de Fevereiro?
Para o concerto, às 21h00, na Casa das Artes, os fãs devem esperar muitas surpresas. Terá um repertório diferente, inédito e com a possível participação da minha progenitora, que é a responsável pela minha musicalidade. Sobre os convidados, sou muito fã do Dodó Miranda, sempre sonhei partilhar o palco com ele. Costumo dizer que é dos músicos mais afinados.


Este é o pré-lançamento do seu primeiro disco. Com uma carreira tão longa, porque só agora surge um disco?
Faço questão de ser muito exigente comigo mesmo. Estou nas mãos de uma produtora que gosta de tudo ao pormenor, faz o serviço da velha guarda, pessoas que não gostam de obras incompletas. Comecei a gravar em 2014, quando a crise disparou. Sei que são muitos anos de produção. Trata-se de uma obra de investigação, que precisa de todo o cuidado.


Já tem datas para a sessão de vendas e autógrafos do disco "Olukwembo"?
Prefiro não indicar datas, deixo isso ao cuidado da produtora. Depende da entrega dos discos, pode haver problemas com o navio, à saída do porto. Tudo o que posso avançar é que será ainda no primeiro semestre de 2018.

(Leia o artigo na integra na edição 460 do Expansão, de sexta-feira 16 de Fevereiro de 2018, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)


Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i