Director Carlos Rosado de Carvalho

Dez desafios regulamentares para os serviços financeiros a nível global

Dez desafios regulamentares para os serviços financeiros a nível global

Em 2018 é de esperar que os reguladores a nível global reforcem áreas como governance, controlo interno, qualidade da informação e reporte, particularmente em questões como cibersegurança, gestão de riscos de contraparte ou fornecedores, conduta e cultura.

Face a estes desafios e à possibilidade de fazer um mapeamento integrado de como endereçar os diversos temas, as instituições têm uma oportunidade única de melhorar as suas práticas e reforçar a confiança dos clientes no mercado e nas organizações.

1. Cibersegurança e privacidade dos dados: o número de canais de contacto é cada vez maior. Em paralelo, aumenta a incidência e impacto de ciberataques, o que configura riscos financeiros e reputacionais para as instituições. A sensibilidade pública em torno do tema é maior que nunca, devido à evolução do contexto regulamentar, do qual o Regulamento Geral sobre Protecção de Dados europeu é um bom exemplo. A violação de dados pode ter impactos severos no negócio, pelo que a cibersegurança é uma prioridade para as organizações e uma preocupação para os reguladores.

2. Controlo e Risk Management Governance: aumentam as expectativas face aos órgãos de controlo interno e especificamente das direcções de auditoria interna. A este nível, importa salientar o trabalho desenvolvido pelo Instituto dos Auditores Internos de Angola, que promoveu o primeiro estudo sobre o tema, realizado pela KPMG. As instituições enfrentam um rigor acrescido e o modelo de três linhas de defesa está sob escrutínio, em particular nos Estados Unidos, onde o Presidente da Reserva Federal Americana referiu, em 2017, que "a intenção passa por permitir que os Administradores invistam mais nos principais deveres do Board: supervisionar com base numa direcção clara para a empresa, responsabilizar a gestão pela execução da estratégia e assegurar a independência e o estatuto das funções de gestão de risco e auditoria interna".

*Partner da KPMG

(Leia o artigo na integra na edição 460 do Expansão, de sexta-feira 16 de Fevereiro de 2018, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i