Director Carlos Rosado de Carvalho

Confiança dos empresários em máximos de três anos

Confiança dos empresários em máximos de três anos

O aumento generalizado no Índice de Confiança Empresarial em 11 pontos teve uma causa comum: a mudança recente na política interna com a nomeação de Cyril Ramaphosa para Presidente. Mexidas no executivo deixado por Zuma, com o "resgate" de antigas figuras de relevo, faz disparar confiança.

A confiança dos empresários sul-africanos disparou no primeiro trimestre de 2018 para máximos de três anos, devido às perspectivas de políticas favoráveis à indústria que resultam da nomeação de Cyril Ramaphosa para presidente daquele país, avançou esta semana a Bloomberg.
O índice de confiança dos empresários subiu 11 pontos, para 45, revela a Bloomberg citando instituições financeiras e de estatística sul-africanas.
"O aumento generalizado no Índice de Confiança Empresarial teve uma causa comum: a mudança recente para melhor na política doméstica, refere a Bloomberg, acrescentando que contribuíram factores como a reorganização a nível ministerial levada a cabo por Ramaphosa.
Enquanto manteve um grupo de membros leais a Jacob Zuma em posições consideradas de menor releve, Ramaphosa "resgatou" Nhlanhla Nene para o Ministério das Finanças, que Zuma tinha exonerado do mesmo cargo em 2015, numa decisão que provocou "o caos" nos mercados. Pravin Gordhan, outro ministro das Finanças exonerado por Zuma, que provocou bastante polémica, em 2017, irá supervisionar seis das maiores empresas estatais, que se encontram em dificuldades financeiras e alegadamente envolvidas em esquemas de corrupção, revela a Bloomberg. O Índice de Confiança Empresarial da África do Sul está abaixo dos 50 pontos desde Dezembro de 2014.

(Leia o artigo na integra na edição 464 do Expansão, de sexta-feira 16 de Março de 2018, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i