Director Carlos Rosado de Carvalho

Catoca facturou 40 milhões USD nos quatro meses de 2018

Catoca facturou 40 milhões USD nos  quatro meses de 2018

Com 75% da quota de mercado em Angola, Catoca poderá tornar-se na segunda maior empresa a nível mundial com a mina do Luaxe.

A Sociedade Mineira de Catoca (SMC), a maior empresa diamantífera do País, facturou, entre Janeiro e Abril, 40 milhões USD, um valor próximo dos indicadores do ano passado.
A revelação foi feita pelo director de Catoca, Serguei Amelin, que esclareceu que a facturação resultou da produção de 2,2 milhões de quilates de diamantes. Segundo o gestor, que falava numa conferência alusiva ao Dia do Mineiro, assinalado no dia 27 de Abril, os resultados satisfazem os interesses da empresa que vai continuar a trabalhar para atingir, até final do ano, 7 milhões de quilates.
O gestor russo salientou que o preço dos diamantes no mercado internacional "continua estável" e pode melhorar, com o encerramento de uma das maiores empresas diamantíferas na Austrália, o que reduzirá em 15% a produção no mercado. Catoca aproveitará esse cenário para aumentar a sua oferta e a facturação.
Em termos de estratégia, Serguei Amelin lembrou que Catoca continua a investir na formação dos seus quadros, no uso das novas tecnologias, para o tratamento e recuperação de diamantes, com vista a alcançar, nos próximos anos, o segundo lugar no ranking mundial, no domínio da exploração, produção e facturação. O cumprimento deste objectivo, como frisou, está relacionado com a mina do Luaxe que será duas vezes maior que o actual quimberlito de Catoca.


(Leia o artigo na integra na edição 471 do Expansão, de sexta-feira 04 de Maio de 2018, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i