Director Carlos Rosado de Carvalho

Atracção e retenção de talento em empresas tecnológicas

Atracção e retenção de talento  em empresas tecnológicas

A componente benefícios ganha nos dias de hoje importância acrescida. Flexibilidade nos horários de trabalho, assim como um plano de trabalho remoto em alguns dias, acesso a programas de saúde e bem-estar, como yoga, preços especiais para ginásios, massagens no local de trabalho, saídas do trabalho para surf, provas de vinhos e iguarias...

Com a aceleração a um ritmo feroz da criação e crescimento de empresas de desenvolvimento tecnológico, surgem questões de enorme importância. Há talento para tudo isso? Que respostas estão a dar as instituições de ensino secundário e superior? Que ensino informal poderá existir para ajudar a colmatar esta potencial falta de talento? Que estratégias as empresas utilizam para atrair e reter esse mesmo talento? E que protecções ao contrato de trabalho poderão existir? Que competição entre países poderá existir para acolher esse talento?
Vamos tentar encontrar algumas respostas às questões acima colocadas.
Há talento para tudo isso?
Para esta questão, a resposta é fácil. Não. Não há talento suficiente. Sendo mais específico, o grande problema assenta em talento qualificado para as novas tecnologias, programadores, entre outras funções do negócio. Mesmo nas áreas de suporte (como é o exemplo dos Recursos Humanos, Financeiro, Marketing) em que as tecnológicas têm por hábito contratar só quem vem do ecossistema, estas começam a ter que começar a contratar nas indústrias mais convencionais, o que não é mau de todo, bem pelo contrário.
Que respostas estão a dar as instituições de ensino secundário e superior?
Infelizmente muito poucas. Esta tendência deveria ter sido prevista já há vários anos e deveriam ter sido criadas mais vagas e mais cursos de vertente tecnológica. Deveria ter se investido a montante no ensino da matemática desde o ensino primário, para que esta temática fosse encarada como normal e não uma dificuldade, o que faz com que haja uma certa limitação de candidatos a estes cursos.

(Leia o artigo na integra na edição 476 do Expansão, de sexta-feira 08 de Junho de 2018, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i