Director Carlos Rosado de Carvalho

Empreendedores apostam nos negócios verdes de forma sustentável

Empreendedores apostam nos negócios verdes de forma sustentável
Foto: Osmar Edgar

É cada vez mais frequente ver jovens que apostam em negócios verdes, como mostram alguns projectos apresentados na 6.ª edição da Feira de Tecnologias Ambientais. O evento reuniu, desde empresas que transformam o óleo vegetal em detergente, a marcas que fabricam vestidos em tecido e papel.

6.ª edição da Feira de Tecnologias Ambientais reuniu 71 empresas angolanas e internacionais que integram o painel de empreendedores pró-ambiente. Entre eles estavam alguns particulares que arriscaram apresentar a sua "mente verde" para ajudar a mitigar os impactos negativos no meio ambiente. É o caso de Constantino Yoani, que expôs um biogás, produzido a partir de fezes de animais, e que substitui o gás de cozinha.
O estudante universitário de Engenharia Química criou um sistema biodigestor, que transforma uma mistura de matéria orgânica (fezes de boi), água e oxigénio em biogás. "A sua implementação custa pouco e ganha-se muito com a sua utilização", disse. Os restos da produção podem ser utilizados como fertilizante.
"É um produto que nos dá várias opções de uso", resume. A startup AmbiReciclo, fabricante de detergentes Eco, sabão em barra e em pó, tudo feito à base de gordura vegetal, também expôs as potencialidades e vantagens dos seus produtos.
Isabel Clemente, coordenadora de projectos da AmbiReciclo, disse que o óleo usado na fritura de alimentos e que as famílias não sabem como reaproveitar são a base de tudo quanto produzem. A isso junta-se a água, corante orgânico e soda cáustica, o que lhe confere um carácter essencialmente ecológico.

(Leia o artigo na integra na edição 476 do Expansão, de sexta-feira 08 de Junho de 2018, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i