Director Carlos Rosado de Carvalho

Mais crédito, mais barato?

Mais crédito, mais barato?

O Comité de Política Monetária (CPM) do Banco Nacional de Angola (BNA) decidiu, esta terça-feira 17 de Julho, reduzir o coeficiente das reservas obrigatórias em moeda nacional de 19% para 17% e a Taxa BNA de 18% para 16,5%.

O CPM é o órgão do BNA responsável pelo controlo da quantidade de dinheiro que circula na economia.

A Taxa BNA sinaliza os agentes económicos sobre o curso da política monetária: Uma redução significa um desaperto isto é que o BNA quer aumentar o dinheiro em circulação e consequentemente reduzir as taxas de juro; Um aumento da Taxa BNA significa o contrário.

Embora o BNA não determine as taxas de juro, pode influenciá- las através da Taxa BNA, que serve de referência às taxas de juro do mercado interbancário, onde os bancos que têm excesso de liquidez emprestam dinheiro aos bancos que precisam de liquidez. Essas trocas de liquidez fazem-se a uma taxa de juro chamada LUIBOR, acrónimo inglês de taxa interbancária de oferta de fundos do mercado de Luanda.

Por sua vez, as taxas LUIBOR - existem várias, uma para cada prazo - servem de referência às taxas de juro do crédito a clientes. Normalmente, quando alguém vai ao banco pedir dinheiro, o banco cobra-lhe uma taxa LUIBOR mais uma margem que depende do risco desse "alguém".

Cronologicamente, as coisas passam-se da seguinte forma: o CPM reduz a Taxa BNA, essa redução contagia a LUIBOR, que, por sua vez, faz descer as taxas a que os bancos emprestam dinheiro aos clientes.

Reforçando o alívio monetário, o BNA reduziu pela segunda reunião consecutiva taxa de reservas obrigatórias.

O negócio tradicional dos bancos é captar depósitos e usar esses depósitos para fazer empréstimos. Como o próprio nome indica, as reservas obrigatórias correspondem aos depósitos de clientes que os bancos são obrigados a depositar no banco central, passem os pleonasmos.

Quanto menor o coeficiente de reservas obrigatórias, mais dinheiro os bancos podem emprestar aos agentes económicos.

O que quer dizer que, quando o coeficiente de reservas obrigatórias diminui, os bancos podem cobrar juros mais baixos aos clientes sem baixarem os lucros.

Quando o BNA desaperta a política monetária, seja através da redução do coeficiente de reservas obrigatórias, seja via descida da Taxa BNA, é porque quer mais crédito e mais barato.

Isso é o que diz a teoria. Vamos ver como funciona na prática, sendo certo que os bancos são muito mais lestos a subir as taxas de juro do que a descê-las.

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i