Director Carlos Rosado de Carvalho

Petróleo rendeu ao fisco mais 37% no primeiro semestre

Petróleo rendeu ao fisco mais 37% no primeiro semestre

No primeiro semestre de 2018, entraram nos cofres do Estado mais de 6.500 milhões USD de receitas fiscais petrolíferas, contra os 4.781 milhões USD no mesmo período de 2017. A evolução das receitas petrolíferas está associada ao aumento do preço do petróleo no mercado internacional.

O Estado angolano arrecadou 6.536 milhões USD de receitas fiscais petrolíferas nos primeiros seis meses de 2018, o valor mais alto desde o início da crise e um aumento de 36,7% face aos 4.781 milhões USD que entraram nos cofres públicos no mesmo período do ano passado, segundo cálculos do Expansão a partir de dados da Administração Geral Tributária (AGT).
O crescimento da receita fiscal petrolífera está associado ao aumento do preço do crude no mercado internacional. Com efeito, nos primeiros seis meses de 2018, o preço médio do barril de petróleo teve um incremento de 30,9% face a 2017, saindo de 51,8 USD de Janeiro a Junho de 2017 para os actuais 67,9 USD, assinalam os indicadores da AGT.
Já as exportações petrolíferas tiveram um caminho inverso. Afundaram 7% no período analisado, saindo de 294,6 milhões de barris para 273,9 milhões. As exportações de petróleo correspondem, de um modo geral, à produção, pois a única refinaria de Luanda processa menos de 200 mil barris por mês, estando actualmente paralisada até Julho para manutenção, depois de ficar sete anos sem intervenções, quando as normas internacionais recomendam que devem ser feitas de cinco em cinco anos.

(Leia o artigo na integra na edição 483 do Expansão, de sexta-feira 27 de Julho de 2018, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i