Director Carlos Rosado de Carvalho

Guerra comercial EUA e China afecta crude

Guerra comercial EUA e China afecta crude
Foto: DR

Disputa comercial entre norte-americanos e o gigante asiático voltou a agravar-se semana com o anúncio de mais tarifas aduaneiras sobre produtos dos dois países a partir de 23 de Agosto.

O petróleo esteve a valorizar durante a semana, antes de inverter a tendência e terminar com uma queda que o levou a rondar os 72 USD. A matéria-prima apreciou após a entrada em vigor das sanções ao Irão na terça-feira, que incluem restrições à compra de dólares norte-americanos.

As medidas impostas ao terceiro maior produtor da OPEP fizeram com que os investidores receassem uma queda do lado da oferta, o que elevou os preços. Além disso, o declínio das reservas petrolíferas norte-americanas em 1,4 milhões de barris na semana passada, embora abaixo do esperado pelos analistas (3,3 milhões de barris), também deu alento à commodity.

Contudo, o valor do crude desceu quando o governo chinês, na quarta-feira, decidiu que iria impor tarifas sobre uma lista de bens provenientes dos Estados Unidos, que abrange derivados de petróleo e gás natural.

*Banco Angolano de Investimentos


(Leia o artigo integral na edição 485 do Expansão, de sexta-feira 10 de Agosto de 2018, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i